qui, 16/05/2024 - 07h00
Compartilhar

Os 10 anos da pista de atletismo do Centro de Excelência Esportiva em 10 fatos

Estrutura em São Bernardo do Campo já recebeu grandes competições e atletas de ponta, como o campeão olímpico Thiago Braz

No último dia 29 de março, a pista de atletismo do Centro de Excelência Esportiva de São Bernardo do Campo, equipamento concebido em parceria da Secretaria de Esportes do Estado de SP com o município de São Bernardo do Campo, completou dez anos. Para comemorar essa data mais do que simbólica, selecionamos alguns fatos importantes sobre um dos principais templos do atletismo no Estado.

– O nome oficial da pista é Professor Oswaldo Terra. Formado em Educação Física pela PUC, Oswaldo teve forte atuação política e esportiva na região do ABC. Ele foi sócio do Sindicato dos Professores do ABC por mais de 20 anos. Em 1987, ocupou a cadeira de divisão de Esportes na Prefeitura de Diadema e, em 1992, foi nomeado secretário de Educação, Cultura e Esportes de São Bernardo do Campo.

– A pista tem 400 metros de comprimento, com oito raias de 1,22m cada e possui certificação nível 1 da IAAF (Associação Internacional das Federações de Atletismo, na sigla em inglês). O espaço conta ainda com área de treinamento, área de imprensa e salas de aquecimento. A arquibancada comporta 1.500 pessoas e é coberta integralmente.

– Não pense que a pista do Centro de Excelência é dedicada exclusivamente aos atletas de alto rendimento. O local está aberto ao público para caminhada em dias e horários específicos: às segundas, quartas e sextas, das 6h às 8h; e às terças, das 18h às 20h. Essa programação só não vale para feriados e emendas de feriados.

– Pista de alto nível para competições de alto nível. Ao longo desses dez anos, o espaço recebeu campeonatos do porte de GP Brasil, Troféu Brasil, Sul-Americano e Brasileiro adulto e sub-20, isso sem falar nas disputas do calendário da Secretaria de Esportes, como as seletivas dos Jogos Escolares do Estado de São Paulo (JEESP).

– A primeira competição que Thiago Braz disputou no Brasil após o ouro olímpico no salto com vara no Rio de Janeiro foi o GP Brasil de 2017, na pista do Centro de Excelência. Thiago saltou 5,40 metros e ficou com a prata, atrás de Augusto Dutra, que marcou 5,60 metros.

Pista de atletismo do Centro de Excelência é uma das melhores do Estado

– O vigente recorde brasileiro nos 100 metros rasos foi obtido na pista do Centro de Excelência. No Troféu Bandeirantes de 2023, Felipe Bardi venceu a prova com o tempo de 9s96. Além de entrar para a história, a marca carimbou a vaga do velocista de 25 anos para os Jogos Olímpicos de Paris.

– Em 2015, delegações de atletismo de Alemanha, Canadá e Holanda foram ao Centro de Excelência para uma vistoria na pista. Essas visitas tinham o objetivo de avaliar as condições da estrutura de atletismo para um eventual uso durante a preparação para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

– Falando em visita, vários astros do atletismo brasileiro já deram uma passada pela pista, para treinar ou simplesmente conhecer a estrutura, rever amigos. O ex-maratonista Marilson dos Santos é figurinha fácil pelo Centro de Excelência, comandando treinos dos alunos de um dos seus projetos sociais. Campeão olímpico em 2016, Thiago Braz também é conhecido por lá. Ele aproveitava os períodos sem competições na Europa para aprimorar seus saltos na pista. Alisson dos Santos, o Pio, campeão mundial e bronze nos Jogos de Tóquio nos 400m com barreiras, é outro que deu as caras.

– A pista de atletismo do Centro de Excelência está acostumada com provas de velocidade, com definições rápidas. Mas em 2022 o espaço foi palco para uma competição bem mais longa: o Intercontinental das Américas 24 Horas, prova que reuniu atletas do Brasil e de mais cinco países latino-americanos para uma corrida com duração de 24 horas – das 10h de sábado às 10h de domingo.

– A cor azul da pista do Centro de Excelência foi apenas uma escolha estética, visual. Assim como a vermelha, comumente encontrada, não interfere no desempenho de quem a usa. O azul, aliás, foi aplicado uma única vez na história dos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro, em 2016, que teve suas provas de atletismo sediadas no Estádio Olímpico Nilton Santos. Neste ano, Paris decidiu inovar: a pista do Stade de France levará a cor roxa.

*Fotos: Matheus Candeloro